No Maraca, Grêmio vence o Flu mais uma vez e avança na Copa do Brasil

O Grêmio está muito vivo na defesa do título da Copa do Brasil. Nesta quarta, o Tricolor Gaúcho deu uma mostra de força e venceu o Fluminense por 2 a 0, no Maracanã. Aproveitando o fato de ter atuado com um homem a mais por 86 minutos, o time de Renato Portaluppi encerrou o duelo com 5 a 1 a seu favor.

O adversário do Grêmio nas quartas de final será conhecido por sorteio. Os times voltam a campo no fim de semana. No mesmo Maracanã, o Fluminense recebe o Vitória no sábado, às 18h. Os gaúchos enfrentam o Vasco às 16h de domingo, em Porto Alegre. Os jogos são válidas pela 4ª rodada do Brasileiro.

O JOGO

Precisando vencer por 2 a 0 para avançar, o Fluminense até começou o jogo em cima do Grêmio, mas qualquer estratégia que Abel Braga havia pensado foi por água abaixo aos 4 minutos. Scarpa cobrou falta na área e o contra-ataque gaúcho seria mortal, mas Nogueira deu carrinho violento por trás em Luan, matando a jogada. O árbitro expulsou o camisa 44 corretamente.

Abel decidiu ajeitar o time sem substituições e acabou pagando caro por isso. Orejuela foi recuado para zaga e o time ficou perdido em campo. O Grêmio perdeu chances claras de gol antes de Luan receber com total liberdade na entrada da área para fazer um golaço de pé direito: 1 a 0.

A expulsão de Nogueira tirou a torcida do Flu – que apoiava o time até então – do sério. Um cartão vermelho passou a ser cobrado a cada falta do rival, mas foi o Grêmio que teve um pênalti ignorado na primeira etapa.

O Grêmio passou a jogar com a bola nos pés, o segundo gol parecia questão de tempo e saiu logo após Scarpa dar lugar a Reginaldo. Em uma das várias investidas que o time de Renato Portaluppi fez pelo meio da defesa rival, Léo Moura enfiou para Pedro Rocha, que driblou Cavalieri e tocou para o gol vazio.

Antes do intervalo, nova reclamação do Fluminense após carrinho forte de Kannemann em Dourado. O árbitro Thiago Peixoto aplicou o cartão amarelo.

O Fluminense voltou do vestiário com Luiz Fernando no lugar de Douglas e com a missão de fazer cinco gols e não sofrer nenhum para avançar na Copa. A substiuição e a conversa de Abel surtiram efeito, pois o time criou chances. Na melhor delas, Henrique acertou o travessão.

No embalo da torcida, o Tricolor Carioca até deu um calor no rival, mas a classificação gaúcha passou longe de ser ameaçada. Marcelo Grohe sequer foi exigido, e a equipe comandada por Renato trocou passes a partir do 30 minutos, aguardando o apito final.

Share This: